Início LEME Frente a Frente com Wagner Ricardo Antunes Filho, o Wagão, prefeito de Leme
Frente a Frente com Wagner Ricardo Antunes Filho, o Wagão, prefeito de Leme

Frente a Frente com Wagner Ricardo Antunes Filho, o Wagão, prefeito de Leme

131
0

Em entrevista ao Jornal Tribuna de Leme, prefeito apresenta detalhes de como levará Leme ao desenvolvimento.

ESCALADA PROFISSIONAL

A sua carreira começou como bancário e depois se tornou um empresário de sucesso na área de seguros. O que te chamou para a política?

WAGÃO: Tenho minhas raízes em Leme. Nascido e criado aqui, com toda minha família, esse histórico me motivou a estar ligado às instituições filantrópicas e suas lutas por condições dignas e um futuro melhor das pessoas, essa iniciativa começou bem antes do meu ingresso na vida política. Entre tantas outras ações que desempenhei, posso citar: vice-provedor da Santa Casa de Misericórdia de Leme, Presidente da Casa do Menor São Francisco de Assis, Vice-Presidente da Associação Comercial e Industrial de Leme e Presidente do Clube de 29 de Agosto. De certa forma, isso já é estar envolvido com política, mas busquei outra forma de alcançar mais pessoas, cuidando de mais pessoas e oferecendo mais assistência às famílias de Leme. Uma forma de contribuir ainda mais com a cidade.

O que foi necessário para chegar ao seu cargo atual? Atribui o seu sucesso a alguém ou alguma coisa?

WAGÃO: Meu envolvimento com a política se deu pela possibilidade de fazer algo mais amplo em favor das pessoas que mais precisam. Iniciei como vice-prefeito, em 2005, assumi a prefeitura em 2006, após a cassação do ex-prefeito Geraldo Macarenko, fui reeleito em 2008 e permaneci até 2012 e agora tive a oportunidade de voltar em 2017. Somente com muito trabalho e determinação para fazer as mudanças necessárias para que as pessoas tenham qualidade de vida, é que vem o reconhecimento. Então, minha vida é pautada por muito trabalho, muito empenho e muita dedicação, sempre buscando oferecer condições de transformação para milhares de pessoas que necessitam do poder público. Atribuo o sucesso a isso, ao trabalho, meu e de toda minha equipe e da população.

FRUTOS DO MANDATO

Quais foram as principais melhorias na cidade durante este um ano de mandato?

WAGÃO: Para falarmos de melhorias, é necessário fazermos uma grande reflexão do que herdamos da administração passada. Iniciamos o nosso mandato com vários problemas, principalmente a Santa Casa de Misericórdia. Pegamos nosso hospital a beira da falência, fechada, sem atendimento à população, falta de pagamento aos funcionários e agora o Ministério Público investiga atos de corrupção, onde pede que as Organizações Sociais, implantadas em 2015 com Paulo Blascke e Gú Zanóbia, devolvam cerca de R$ 5 milhões aos cofres públicos. Hoje, com trabalho duro, podemos comemorar os resultados. Os funcionários da Santa Casa recebem em dia, o hospital está atendendo normalmente a população, não temos mais mães tendo seus filhos na calçada ou em outros hospitais, como aconteceu em 2016. Inclusive, recentemente, tivemos a felicidade de ter um nascimento de um bebê de aproximadamente 6 quilos. Essa conquista me deixa feliz e certo que estamos no caminho para melhorar tudo em nossa cidade. A Santa Casa sem dúvida é nossa maior conquista.

Conte para nós sobre os seus projetos futuros.

WAGÃO: Estamos desenvolvendo muitas ações por toda a cidade e acredito que em poucos meses, toda a população notará a diferença e os avanços de nossa cidade. Vamos contratar cerca de 15 médicos em várias especialidades, estamos retomando as obras da UPA 24 Horas, inaugurada em período eleitoral com várias irregularidades, sem condições de uso e principalmente sem qualquer funcionário ou equipamento. Tijolo não atende a população. Retomamos as obras da UBS do Jardim Saulo e vamos construir mais três UBSs, no Jardim Empyreo, Jardim Imperial e na Vila São João. Retomamos as obras do Ginásio da Santa Marta, que ficaram quatro anos parados, do Centro Educacional, ali na Praça da Cianê, que também ficaram paradas na administração passada. Estamos implantando muitas ações na área de esporte, com as reestruturações das escolinhas que já começaram a acontecer. Atividades culturais com muita música, oficinas, teatro, entre tantas outras ações. Na área de educação temos a construção de creches, reforma do CAIC e de outras escolas também, contratando mais profissionais da educação. A busca é melhorar cada vez mais a qualidade de ensino na rede municipal e oferecer melhores oportunidades aos cidadãos. Enfim, temos muitos projetos e tenho certeza que Leme terá uma outra cara, com obras, projetos, investimentos em todas as áreas para dar condições de vida digna aos lemenses.

O que o senhor vê na cidade que mais precisa de melhorias e investimento?

WAGÃO: Vemos a cidade de modo amplo e todas as áreas são importantes e se conectam, dependendo uma das outras. Temos prioridades nas áreas em que a população mais precisa que é saúde, segurança e emprego. Estamos atuando em vários eixos, pois tudo está ligado. Vamos oferecer boa educação, bom saneamento, mais esporte e cultura, tudo o que for necessário para oferecer qualidade de vida para a população.

O que o cidadão pode fazer para ajudar nesta luta?

WAGÃO: A população sempre participa de nossa administração. Sempre digo que a prefeitura deve fazer a sua parte e a população deve fazer a dela também, em conjunto. Exemplo: ajudar na manutenção da limpeza, denunciando quem joga lixo em lugares inadequados. Esperamos que a população participe nossa administração com ideias positivas e nos ajudando a implantá-las e assim reconstruir nossa cidade.

JUVENTUDE E RENOVAÇÃO POLÍTICA

Os jovens, durante o seu primeiro mandato, demostraram grande admiração e respeito ao senhor. A que o senhor atribui tal afinidade?

WAGÃO: Fizemos muitas coisas para nossos jovens. Na educação tivemos muitas conquistas, implantamos o material e uniforme gratuitos, ovos de páscoa, além de oferecer muitas oportunidades, atividades culturais, muito esporte, lazer e principalmente criamos oportunidades de estudo, com o auxílio transporte, cursinho gratuito preparatório para vestibulares, distribuição de bolsas universitárias, acredito que são essas ações que beneficiaram e ainda beneficiam nossos jovens lemenses.

Essa admiração e respeito continuam?

WAGÃO: Tratamos nossos jovens com o mesmo carinho e respeito de sempre e acredito que é reciproco.

Estamos em tempo de renovação política, uma época em que o jovem tem se interessado cada vez mais pelo legislativo, mesmo que uma pequena parcela ainda. O senhor acredita no potencial do jovem em adentrar na política? Como estimular e formar um jovem político justo?

WAGÃO: O caminho é a educação. Em Leme, com a chegada da UNIVESP, oferecendo um curso de graduação em Gestão Pública, tenho certeza que teremos muitos jovens que aprenderão os conceitos de gestão pública, suas peculiaridades, seja na parte de ações administrativas, seja na parte jurídica. Teremos uma turma boa de jovens com excelente formação para renovar quadro político em nosso país.

O prefeito tem planos para o jovem? Seja em participação nas decisões da cidade, investimento na educação, formação, conscientização, etc?

WAGÃO: Claro que tenho. Não só para os jovens, mas para todos os cidadãos. Iniciamos agora em janeiro o Projeto Craque no Presente, Cidadão no Futuro que vai reestruturar todas as escolinhas esportivas mantidas e realizadas pela Secretaria de Esportes e Lazer. Começamos pelo futebol, depois vamos para o futsal, vôlei, basquete e demais modalidades. Nossos jovens além da prática esportiva, terão acompanhamento pedagógico, como frequência e desempenho escolar, além de visitas a museus, universidades, escolas técnicas, palestras e oficinas preparatórias. Passarão por acompanhamento médico e assistencial, garantindo todas as condições necessárias para uma transformação social através do esporte. Trouxemos a UNIVESP, ofertando mais oportunidades de qualificação e estamos pleiteando junto ao Governo Federal uma parceria para implantação do Instituto Federal. Vamos oferecer cursinhos preparatórios para vestibular e investir cada vez mais na formação de nossos jovens. Criar oportunidades para melhorarem de vida.

EMPRESAS E DESEMPREGO

O prefeito considera investir na iniciativa privada (atrair empresas) como um meio de aumentar a renda da cidade e fazê-la crescer?

WAGÃO: Gerar emprego é gerar riqueza. Todos ganham com a vinda de empresas, pois o município arrecada mais, tem maior poder de investimento, gera emprego e muitos outros empregos indiretos são gerados. A economia melhora, o dinheiro circula novamente e criam-se mais vagas de trabalho. Estamos trabalhando muito para atrair novas indústrias e gerar mais empregos em nosso município.

Como despertar o interesse do empresário para uma cidade que até então estava com a Santa Casa quase fechando entre outros problemas?

WAGÃO: No começo do ano passado criamos um caderno de vantagens competitivas ao empresário. Leme tem uma vantagem estratégica, pois está localizada em um ponto fundamental, bem no meio entre Campinas e Ribeirão Preto. Temos aeroportos próximos, grandes universidades, uma malha viária fantástica que liga a cidade a todo o país, garantindo o escoamento de produtos e facilitando a logística. Esse é o fator principal de atração, porém, precisamos ir além, precisamos apresentar condições em termos de cidade, com infraestrutura, planejamento urbano, saúde pública e educação de qualidade, segurança. É preciso oferecer mais que a localização estratégica e estamos fazendo. Estamos preparando Leme para receber vários investimentos na área industrial.

Quais medidas estão sendo tomadas contra o desemprego?

WAGÃO: Estamos fazendo várias visitas a empresários, nos aproximando do governo estadual, do Investe São Paulo, entre outras frentes para ampliar nossa margem de contato e divulgar Leme como ponto estratégico para qualquer empresa de qualquer segmento. Estamos melhorando o PROINDE, a fim de ter incentivos municipais para atração de indústria, com doação de terrenos, isenções e outras vantagens permitidas em leis. Temos investido no sistema de abastecimento de água, no esgoto tratado, vamos melhorar e ampliar a infraestrutura de nossos distritos industriais com novos acessos para melhorar o fluxo. Tivemos um 2017 muito positivo. Após 3 anos no vermelho, fechamos com saldo positivo de 382 novas vagas criadas. É um importante passo para a retomada do crescimento e da geração de empregos. E vamos criar ainda mais vagas em Leme. 

MEDIDAS IMPOPULARES (?)

Apesar do senhor já ter se pronunciado em outros meios de comunicação, ainda restam dúvidas.

Qual foi o critério de avaliação dos imóveis para o aumento do valor venal?

WAGÃO: Fizemos um estudo da planta genérica de municípios vizinhos. Vimos que em Leme estava muito defasado os valores do metro quadrado dos imóveis, pois a última vez que teve essa atualização foi em 2009 e o próprio Tribunal de Contas recomenda de tempo em tempo fazê-la. Não fizeram na gestão passada e certas atitudes demandam coragem e decidimos arcar com o ônus de uma medida impopular, mas garantir saúde financeira para investir no desenvolvimento e em serviços de qualidade para a população. Mesmo com a atualização, a tabela de cálculo de IPTU de Leme ainda é mais baixa que Araras e Santa Cruz da Conceição, por exemplo. Santa Cruz, que a grande maioria dos serviços depende de Leme, tem uns dos metros quadrados de construção mais caros da região. O valor do metro quadrado do setor mais caro da cidade é R$ 1.186,968, enquanto em Leme o mais caro gira em torno de R$ 684,43. Lá o setor mais barato é avaliado em R$ 762,659 e em Leme o mais barato está em R$ 351,21. Comparado a Leme, Santa Cruz a tabela de cálculo de IPTU é 70% mais caro. E ainda a população lá usa nosso hospital e muitos benefícios de Leme, serviços que a prefeitura não oferece para os santacruzenses.

O valor venal atual dos imóveis terá influência também no cálculo do ITCMD, ITBI, valor do cálculo também dos valores de escrituras públicas sobre a venda e compra dos imóveis e também sobre os inventários. Imóveis que até o ano passado estavam isentos de determinados impostos, agora a partir de 2018, não estarão mais. Isso foi levado em conta quando foi feito a valorização dos imóveis? Não estaria havendo injustiças com certas pessoas que fariam jus a isenção pela situação econômica que possuem?

WAGÃO: Não, pois a tabela é uma atualização da valorização do imóvel. São 9 anos da última atualização. Veja quanto tempo de valorização não foi repassado. Existem muitos benefícios e se o contribuinte achar que há algo de errado pode procurar a Secretaria de Finanças e solicitar a revisão. Garanto que tudo foi feito de forma correta e sem prejuízos.

Há possibilidade de uma revisão nesse valor venal, considerando a insatisfação geral da população lemense?

WAGÃO: Não há, pois não houve qualquer irregularidade no processo. Sabemos que causa insatisfação, mas são atitudes que temos que tomar e a população pode ficar tranquila, pois tudo será revertido em benefício da própria população, com mais médicos, exames, cirurgias, esportes, educação de qualidade, enfim, fazer o que precisa ser feito para dar qualidade de vida ao nosso povo.

É verdade que foram devolvidas ao Estado ambulâncias que nunca foram usadas? E se for, por que foram devolvidas?

WAGÃO: O Paulo Blascke assinou um convênio com o Governo Federal para receber duas ambulâncias, mas sem qualquer estudo de implantação. O pessoal da administração passada esqueceu que só a ambulância não iria atender a população. Eram necessários médicos, enfermeiros, socorristas e motoristas 24 horas por dia e isso gera um custo muito alto. Se você pegar a quantidade de acidentes gravíssimos que temos em Leme, vai ver que a estatística é baixa e o Corpo de Bombeiros consegue atender da melhor forma possível. Desta forma, é preferível investir na contratação de médicos para as unidades de saúde, do que ter um sistema complexo de transporte de urgência, levar o paciente até a unidade de saúde e não ter ninguém lá para atendê-lo, do que adiantaria? Ficamos com a unidade básica que se adequa melhor a nossa demanda e disponibilizaremos a unidade avançada para o Governo Federal destinar a outro município. Esta possibilidade está sendo avaliada e acredito que em breve teremos a resposta. Se aceita, faremos uma equipe unificada com o Corpo de Bombeiros e ofereceremos o serviço do SAMU aos munícipes no padrão de atendimento feito pelo Corpo de Bombeiros aqui em Leme. 

O que tem a esclarecer sobre a polêmica da operação “tapa buraco”?

WAGÃO: A polêmica é por conta de quem quer fazer sensacionalismo e se promover politicamente em cima disso. Porém, esses oportunistas não entendem que para fazer o recapeamento total da malha asfáltica é preciso fazer o tapa buraco e, após o período chuvoso, realizar o recapeamento asfáltico por completo. E isso vamos fazer logo após o fim do período de chuva.

IMPRENSA – COMO INTERLIGAR POPULAÇÃO E GOVERNO

Agora, pegando todas essas medidas e situações de forma abrangente, responda: Como lidar com a visão das pessoas sobre as decisões ditas “impopulares”?

WAGÃO: É como digo sempre, é preciso coragem para administrar uma cidade. Medidas impopulares são necessárias e devem ser tomadas. Porém, após as medidas é preciso devolver em forma de serviços públicos de qualidade, que é o que todo cidadão espera. Nossa resposta será com trabalho, com transparência como temos feito e fazendo o que precisa ser feito para reconstruir a cidade que ficou abandonada nos últimos anos. Convido para fazer uma reflexão de como era Leme entre 2013 e 2016 e como está hoje. O que não funcionava antes está funcionando hoje. A população lemense sabe que estamos trabalhando para melhorar a cidade e pode confiar que vamos fazer muito ainda por Leme.

Como as fazer entenderem o porquê, com transparência e sinceridade?

WAGÃO: Mostrando trabalho. A Saúde está sendo reconstruída. Como digo, uma nova saúde pública, com mais médicos, unidades de saúde, novos equipamentos, melhor estrutura. Uma educação de qualidade, com planejamento e eficiência, com economia nos gastos públicos. Devolver todos os impostos pagos com serviços públicos de qualidade.

Falando em comunicação, pouco se ouviu falar sobre o parecer do prefeito quanto ao aumento do valor venal do IPTU. Apesar de ter se manifestado em rádios, jornais e até em um vídeo nas redes sociais, muitos dizem que está em silêncio até agora. Isso é uma falha dos meios de comunicação?

WAGÃO: Não vejo falha. Eu, o secretário de finanças e os próprios servidores da secretaria fomos diversas vezes em rádios falar a respeito. Usamos as redes sociais, os rádios, os jornais, fizemos um mix de todos os meios para explicar a situação. Porém, há de se entender que são medidas impopulares e que é difícil a aceitação da população, dada as circunstancias que encontramos a prefeitura e ineficiência que havia na administração passada. Tudo isso, causou a indignação, mas tenho certeza que logo devolveremos tudo isso em forma de trabalho e compromisso com a qualidade de vida de nosso povo.

A imprensa de Leme é muito tradicional, pois se baseia em jornais e rádio. Eu como jornalista acredito que não devemos ignorar o potencial digital e vejo que falta isso em nossa cidade. Houve pronunciamento por parte do senhor, esclarecendo assuntos e decisões polêmicas, porém muitas pessoas não têm acesso ou não se interessam por esses meios de comunicação.  Como corrigir isso?

WAGÃO: Temos feito muitas ações em meios digitais. Através do facebook, com posts diários e muitas vezes vídeos. Hoje, nosso maior meio de comunicação é o portal da prefeitura e as redes sociais oficiais. Tivemos muitos eventos e todos com grande público prestigiando-os. Isso é resultado da eficiência que buscamos, fazer mais com menos. Estamos programando um bate-papo informativo semanal, transmitido pelo facebook, de 10 a 15 minutos, com entrevistas com prefeito, secretários e servidores, a fim de falar sobre as ações e passar mais informações do dia a dia da prefeitura. Também melhoramos o nosso site, com mais informações e melhor organização visual, aumentamos o número de notícias semanais, tudo pensando em mostrar transparência ao nosso munícipe. Além das campanhas institucionais, nas escolas, jornais, materiais publicitários, rádio, entre outras medidas de divulgação. Quanto à rede social, vamos implantar a partir de maio, o Internet para Todos, onde vai oferecer conexão banda larga gratuita a várias regiões de Leme, permitindo que os cidadãos se conectem com a internet, sem qualquer custo.

SITUAÇÃO ATUAL DA CIDADE

Como os impostos estão sendo aplicados agora.

WAGÃO: Em muitas obras, aquisição de equipamentos, investimentos em serviços públicos. Vamos falar de obras: Temos a retomada da obra do Lago Municipal, da Praça do Trabalhador, da UBS do Jardim Saulo, o Ginásio de Esportes do Santa Paula, UPA 24 Horas, Centro Educacional, todas essas obras ficaram paradas na administração passada. Ainda iniciamos a reforma completa do CAIC, o novo Centro de Especialidades Odontológicas no CMI, a reforma das escolas municipais como o Alcides Kammer, a troca do gramado no estádio Hilário Harder e Eugênio Dellai, a reforma do Bruno Lazzarini e muitas outras coisas que estão acontecendo e vamos entregar para a população em breve e todos vão ver a diferença para melhor. Tem muito mais investimento que faremos até 2020.

Com o aumento do IPTU, quanto à cidade está arrecadando?

WAGÃO: A receita está estimada em R$ 320.185.072,75, sendo R$ 227.992.664,81 para o orçamento fiscal e R$ 92.262.407,94 para a seguridade social. Essa é uma receita estimada e aprovada por lei, além dos impostos municipais, tem os repasses dos governos estadual e federal, necessários para realizar todos serviços públicos no nosso município.

Quanto tem saído para as secretarias, que antes lutaram com certa escassez de verba por conta da ajuda com a Santa Casa.

WAGÃO: Em 2017, todos os secretários tiveram a oportunidade de reunir suas equipes e desenvolver o Plano Plurianual para os próximos quatro anos. Quais seriam os projetos a serem desenvolvidos em Leme nos próximos anos e qual o orçamento necessário para cada ano. Então, desta forma, com autonomia dada aos secretários, a lei orçamentária anual estabeleceu recursos necessários para o desenvolvimento de cada projeto do planejamento nas secretarias.  

Como o senhor vê a cidade daqui a dois anos?

WAGÃO: Completamente diferente do que quando assumimos. Teremos mais qualidade na saúde, com melhor atendimento e mais agilidade. Mais obras, ginásio de esportes novos, centro cultural na FEPASA. Uma cidade com mais desenvolvimento, do jeito que nossa população tanto merece.

EDUCAÇÃO

Como profissionalizar a mão de obra para que atenda as exigências pelas empresas?

WAGÃO: Essa é uma de nossas preocupações, qualificar a população para o mercado de trabalho. Temos uma grande parceria com a Escola Técnica, na qual a prefeitura, dentro de suas responsabilidades legais, contribui com a escola, que mesmo sendo estadual, recebe apoio do governo municipal. A Anhanguera Educacional também tem uma parceria com a prefeitura, distribuímos bolsas de estudos a população de baixa renda para que possam ter acesso ao ensino superior. Em 2018, tivemos nossa maior conquista que é a vinda da UNIVESP, universidade pública que oferece vários cursos gratuitamente ao nosso cidadão e a tendência é ampliar os cursos ofertados em nosso município. No segundo semestre teremos o início das inscrições para o cursinho gratuito preparatório para vestibulares, destinado aos jovens de baixa renda, ampliando as chances de acesso ao ensino superior. Além disso, a SADS, Secretaria de Emprego e Relações do Trabalho e Indústria e Comércio, em conjunto, vem oferecendo vários cursos de formação rápida, com foco no empreendedorismo a fim de formar e capacitar para novas funções e criar oportunidades e fomento para novas atividades individuais em nosso município.

O que o senhor pensa para a educação da cidade de Leme?

WAGÃO: A educação é a base de nossa política pública. Construção de creches, escolas, reformas e ampliações, tudo que não foi feito no governo passado e agora teremos que fazer um mutirão de reforma nas unidades de ensino municipal. Tenho acompanhado o trabalho pedagógico de nossa secretária Andrea Begnami e sua equipe e em uma análise do planejamento para 2018, vi que é um trabalho que renderá muitos frutos positivos a nossas crianças. Sem devaneios ou utopia, uma política pública educacional exequível que busca a igualdade a todas as crianças, independente da região que está inserida. Ampliação da escola de tempo integral, implantação de oficinas culturais e pedagógicas, reforço escolar, atividades esportivas e lúdicas, colocação de brinquedos pedagógicos que estimulam o pensar e o desenvolvimento motor das crianças. Estamos implantando uma política educacional que dialoga com outras áreas e secretarias, para proporcionar máxima qualidade de ensino em nosso município.

Ouvimos dizer que há projetos para a construção de escolas com educação de base e até de um centro de pesquisas que está sendo negociado em Brasília. Conte-nos mais sobre isso e complemente com seus outros projetos para a educação.

RESPOSTA: Sim. No planejamento consta a construção de novas escolas. Também conseguimos uma nova escola junto ao governo do estado, para o Ensino Fundamento II e o Ensino Médio, que deverá atender a região do Jardim Empyreo e adjacências, buscando a implantação de Universidades, Escolas Técnicas, tudo o que for necessário para oferecer qualidade de ensino em nosso município. O Instituto é um sonho antigo, temos feito propostas para o Governo Federal para a implantação em Leme. É um processo moroso, mas que não mediremos esforços para conseguir uma importante conquista para Leme.

O método de educação no Brasil está muito atrasado em relação aos outros países. Nosso modelo ainda se espelha no do ápice da Revolução Industrial que visava especializar as pessoas em mão de obra de produção em massa. Apesar de Leme ter a média de qualidade de educação superior à nacional, o prefeito tem planos para maior investimento e modernização para aprimorar a educação?

WAGÃO: O caminho é a tecnologia. A Secretaria de Educação está desenvolvendo um sistema para modernizar a gestão escolar e assim, melhor controlar os processos acadêmicos, com relatórios instantâneos que permitirá analisar com maior profundidade e celeridade o que acontece nas unidades de ensino e traçar metas, reavaliar plano e buscar soluções de melhorias contínuas. Sem contar que os pais poderão acompanhar o rendimento em tempo real de seus filhos. Além disso, investiremos na formação pedagógica de nossos professores e no uso da tecnologia, para acompanhar esse mundo cada vez mais conectado e ampliar ainda mais o interesse e iniciativa de nossas crianças ao aprendizado.

Vemos uma preocupação da gestão atual da cidade em trazer cursos técnicos e superiores ao alcance das pessoas por meio da recente incorporação da faculdade UNIVESP.  Mas quanto à educação de base, a educação primária que em lugares da cidade ela se mostra fraca ou até inexistente? O prefeito tem planos para ela?

WAGÃO: Não concordo com essa falácia de educação fraca. Quando analisamos o IDEB do ensino municipal de Leme com cidades da região, vemos que estamos à frente da maioria. Isso comprova que nossa educação infantil é de qualidade. O que estamos fazendo atualmente é fortalecer algumas regiões de vulnerabilidade, ampliando as ações pedagógicas e melhorando ainda mais o ensino em determinados pontos da cidade. Faz parte da política igualitária que estamos implantando na educação lemense, capaz de melhorar o ensino de forma que todos tenham as mesmas condições, independente do cenário que esteja inserido.

Devemos entender que educação é investimento a longo prazo. Todos os países referência em ensino têm essa alcunha porque tal preocupação esteve presente ao longo de toda sua história, como o Japão. Ainda que todas as medidas necessárias para que um sistema de ensino moderno efetivo fosse implementado, isso levaria muito tempo. Existe alguma medida paliativa que possa ser incorporada enquanto não alcançamos o objetivo?

WAGÃO: Educação não pode ser pensado de forma paliativa. Educação é planejamento, desenvolvimento e execução. Essa distância que existe entre o Brasil e outros países no âmbito educacional é decorrente de uma série de decisões errôneas que não surtiram o efeito esperado e transformaram a educação como encontramos hoje. O que temos que fazer para amenizar de forma rápida essa distância, é oferecer oportunidades de acesso à cultura, com visitas a museus, teatros e outras atividades que complementam a formação de nossos jovens, fora da sala de aula, mas todas com foco no aprendizado e na formação. Isso temos feito, seja na Secretaria de Educação através de suas ações, ou nas parcerias com o esporte, assistência social ou com a iniciativa privada. Somente com ações assim, poderemos oferecer cada vez mais oportunidades para nossos jovens e que tenham um futuro bem encaminhado no que diz respeito a sua formação.

E para finalizar:

O senhor se sente injustiçado pela opinião pública com relação às decisões tomadas no atual mandato?

WAGÃO: Não, de forma alguma. Como tenho dito, comandar uma cidade como Leme, é preciso sabedoria, planejamento e muita CORAGEM para tomar decisões importantes para garantir que os serviços públicos retornem de maneira eficiente aos munícipes. Eu tenho essa coragem e não vou deixar de tomar decisões apenas por questões políticas. Fazer o que precisava ser feito, pois são atitudes necessárias. 2017 foi um ano para colocar a casa em ordem, tomar todas as decisões que necessitava para uma atualização urgente e assim fizemos. Agora é hora de trabalhar, de melhorar os serviços, ampliando-os e ofertando a nossa população educação, saúde, segurança e tudo o que for necessário e vital para a sua qualidade de vida. É uma nova Leme que está em reconstrução, fruto do descaso da última administração, das irregularidades apontadas pelo Tribunal de Contas, investigadas pelo Ministério Público e que a população pagou o preço pelo descompromisso que essas pessoas tiveram com a cidade. Todas as decisões erradas que a administração passada teve, tivemos que trabalhar dobrado para consertá-las e agora, em 2018, todo esse esforço começará a aparecer e Leme caminhará com destino forte, sólido e preparado para o seu desenvolvimento, oferecendo melhores serviços e melhores oportunidades ao nosso povo.

O senhor pretende concorrer à reeleição?

WAGÃO: Não estou preocupado com reeleição neste momento. Quero deixar claro que posso, sim, ser candidato em 2020. Mas esse é um processo que começarei a pensar próximo a eleição. Estou focado no trabalho que temos que desenvolver em nosso município, preocupado em reconstruir nossa cidade, preocupado em devolver os serviços essenciais e trazer desenvolvimento e prosperidade para nossa população que tanto merece.

Deixei de abordar algum assunto do qual gostaria de falar?

WAGÃO: Eu quero apenas deixar um recado. A população lemense me conhece, sabe de minha ligação com Leme e tudo o que fiz por essa cidade. Tinha prometido para minha família que não seria mais candidato, porém, não pude ficar de fora, enquanto via esse grupo político que administrou Leme nos últimos anos, fechar a Santa Casa com suspeita de desvio de dinheiro público, deixar a cidade em um verdadeiro caos administrativo com ineficiência e sem serviços públicos essenciais a nossa população. Sabíamos das dificuldades que encontraríamos no início de nosso governo, pois o descaso da administração passada com nossa cidade foi muito grande. Colocamos a casa em ordem, voltamos com muitos serviços que estavam parados e a prefeitura começou a caminhar novamente. Não vou prometer, vou afirmar, pois tenho certeza que nossa cidade voltará a ser como era. Em pouco tempo, nossos serviços vão aparecer de forma mais ampla e com as obras na saúde pública, com a contratação de novos médicos, com a ampliação da realização dos exames e das cirurgias, com a da volta do esporte em Leme, com os projetos culturais e assistenciais, com geração de emprego, estamos reconstruindo nossa cidade, ampla, moderna, eficiente e com serviços públicos de qualidade.

É Leme em reconstrução!

Por Gabriel Viola – Jornalista  | Entrevista exclusiva ao  jornal Tribuna de Leme.

(131)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *